Dilatação anormal de uma artéria que irriga o cérebro, o aneurisma cerebral é uma doença que atinge entre dez e 15 pessoas em cada grupo de 100 mil indivíduos em todo o mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Trata-se de uma doença silenciosa e que na maioria dos casos surge sem avisar.

 

Quando o aneurisma se rompe, causa hemorragia cerebral e eleva consideravelmente a pressão arterial. O principal sintoma do aneurisma é um forte dor de cabeça, que pode vir acompanhada de desmaio transitório e vômitos. Se não for tratada a tempo, pode deixar sequelas graves no paciente ou até mesmo levar à morte

 

“O problema do aneurisma é quando ele se rompe, podendo deixar sequelas graves, como perda de força, alteração na fala e levar ao coma. Em geral o principal sintoma, disparado, é a cefaleia. Também pode ocasionar perda de visão e alterações na urina, mas isso é muito raro”, afirma o neurologista do Hospital Santa Marta, Hugo Ari Oliveira Silva.

 

O médico explica que o tratamento depende de três fatores principais: tamanho, localização e das características do aneurisma. O diagnóstico é realizado através de angiotomografia ou angioressonância, exames que permitem a visualização de placas de gordura ou cálcio no interior das veias e artérias do corpo.

Se preferir, fale com um de nossos especialistas para saber mais sobre este assunto Aproveite e coloque seu acompanhamento médico em dia. Cuide-se!
Marque sua consulta agora. É fácil e rápido.

 

“Geralmente, quem trata o aneurisma cerebral é o neurocirurgião. O tratamento mais atual é embolização por via endovascular [procedimento que diminui a circulação de sangue para dentro do aneurisma], mas em alguns casos é necessário fazer a craniotomia, que é abrir o crânio”, diz.

 

Fatores de risco e prevenção

Silva ressalta que os principais fatores de risco são cardiovasculares. Pacientes com hipertensão não controlada, diabéticos e tabagistas estão entre a população com maior incidência da doença. O histórico familiar também influencia na predisposição para o aneurisma. A melhor forma de prevenção é a prática de atividade física e manter hábitos de vida saudáveis.

 

“Está associada à hipertensão, diabetes, tabagismo e histórico familiar. Doença renal policística também está muito relacionada. O jovem pode ter aneurisma, mas é uma doença que acontece mais com o passar da idade”, reforça o neurologista.

 

O aneurisma cerebral é uma das causas de acidente vascular cerebral (AVC) do tipo hemorrágico, e está relacionado a altas taxas de mortalidade e de comprometimento neurológico dos pacientes. Por isso, requer atenção imediata. É fundamental procurar um hospital que esteja preparado para tratar desses casos.

 

O Hospital Santa Marta oferece uma linha completa de cuidado ao paciente neurológico, dispondo de atendimento de alta complexidade, com equipe multi e interdisciplinar e tratamento especializado. A estrutura hospitalar é de última geração e oferece serviço de excelência para a realização de cirurgias, tratamentos e acompanhamentos neurológicos.